Pedro Jacinto (CAB): “Esta experiência formatou as atletas enquanto cidadãs e atletas”

O quarto lugar alcançado no Campeonato Nacional de Voleibol de Cadetes femininos traz mais ambição ao Clube Académico de Bragança (CAB).

As brigantinas defrontaram emblemas com tradição na modalidade, como o Leixões SC, Castêlo da Maia Ginásio Clube e Vitória de Guimarães.

Pedro Jacinto não tem dúvidas que as suas atletas cresceram e valorizaram-se. “Deixa-nos com vontade de ser ambiciosos e perceber que para sermos ambiciosos há erros que não podemos cometer. Temos que acreditar no nosso potencial e principalmente, e esse é o grande recado deste ano, no trabalho que dá para vencer. Foi sempre através da união do grupo, da competitividade e do trabalho semanal que conseguimos”.

Competir com a formação de cadetes no nacional foi um desafio para clube e para o treinador. “O ano de cadetes é um ano de decisões, um ano em que normalmente as atletas que estavam apenas para experimentar a modalidade decidem se continuam ou não no voleibol. O mais gratificante é o facto de o grupo ter começado grande e assim se manteve. É também, e depois do confinamento, um ano em que as atletas consolidaram a sua personalidade. Esta experiência formatou-as enquanto cidadãs e atletas”.

A participação do CAB no Campeonato Nacional de Voleibol de Cadetes aproximou ainda mais os brigantinos da modalidade e do clube. “A tradição no voleibol começou a ser enraizada pelo clube já há algum tempo. Penso que neste momento por termos um grupo maior de trabalho conseguimos chegar a mais gente. E acho que o facto de termos defrontado grandes emblemas como Braga, Leixões e Guimarães, que associamos muito aos emblemas do futebol, deram-nos outra

Em oito jornadas, o Clube Académico de Bragança somou duas vitórias e seis derrotas. Terminou no quarto lugar com seis pontos.

in “Rádio Brigantia

Comentários

Comentários